terça-feira, 2 de maio de 2017

SarauOca Matutando Entre o Quando e o Quase.
Noite de poesia, música e autógrafos no encontro de dois autores e seus livros em relançamento simultâneo no Centro de Arte Maria Teresa Vieira.
Luiz Andrade com “Matutando” (Pachamama Editora) e Alex Moura com “Entre Quando e Quase” (Ed. Multifoco) estão no foco do SarauOca de 04 de Maio no encontro rural e urbano da poesia.
Enquanto Luizin escreveu “sobre matutos. Estão em toda parte em sua inação criadora, em seu tempo estendido, em barro de terras nas unhas da lida do campo.” Alex escreveu sobre “inquietações acerca do tempo, do limite pessoal definido pela duração da vida, ou seja, do quando definido enquanto percurso, o tempo de existir.”
Programação:
. 19h - música com o DJ Yorick.
- Apresentações, intervenções e entrevistas, durante o evento, dos anfitriões Sergio Gramático, Denise Andrade e Arnaldo Vieira de Alencastre
. 20h - Papo com Alex Moura e Luiz Andrade
. 21h - Roda de poesia e cantoria com Alex, Arnaldo e Luizin
. 21:50 - Intervalo para autógrafos e papos.
. 22h - Participações especiais dos poetas Anna Carolina Santos, Leonardo Lusitano, Leonardo Rocha, Xandu e da cantora Neyla Durães, além de surpresas e o povo presente.

. Expo acervo CAMTV
Bancas culturais com
. Pequenos objetos
. Fanzine de Lua Machado
, Peças em colares e brincos de Claudia Tonelli

Entrada Franca!

Centro de Arte Maria Teresa Vieira
Rua da Carioca, 85 – Centro – Rio
oficinadeartemtv@yahoo.com.br
Arte ao Alcance de Todos!
Inscrições Sempre Abertas para Oficinas e Cursos de Artes!
Há 30 anos na Rua da Carioca e desde a década de 50 através de sua fundadora, o Centro de Arte Maria Teresa Vieira atualmente promove além de exposições e eventos, OFICINAS E CURSOS de artes visuais, arte educação, artes e cultura com o objetivo de desenvolver a capacidade criadora, artística, técnica e teórica do aluno. As oficinas são aulas individualizadas em grupo, com respeito ao processo e ao objetivo de cada participante.
Deixe seu contato para formação de turma:
21 2533.7472 (terça a sexta 13h às 20h) /
oficinadeartemtv@yahoo.com.br


Arte ao Alcance de Todos!




OFICINA DE GRAVURA com Bárbara Sotério, baseada nas técnicas de xilogravura e gravura em metal, bem como a cologravura. Pensando nos termos “gravura em relevo” e “gravura em côncavo” como base para o desenvolvimento dos trabalhos.
A gravura em relevo é uma técnica de redução, onde as áreas brancas da imagem são inseridas na matriz, a tinta é aplicada em suas superfícies, muito similar a um carimbo. Já na gravura em côncavo a tinta é aplicada em sulcos feitos na matriz, a imagem “riscada” é a que será impressa. A cologravura é uma técnica de adição, onde são acrescentados diversos tipos de materiais na matriz, para que se utilizem texturas para criar a imagem.
A aplicabilidade da gravura no quotidiano, a reutilização de materiais, e uso de meios acessíveis e de baixo custo para a criação de gravuras serão o foco principal da oficina.
As aulas serão nas terças-feiras, de 18h às 21h.
No Centro de Artes Maria Teresa Vieira
Rua da Carioca, 85 - Centro - RJ
Informações e inscrições:
2533-7472 (terça a sexta 13h às 20h) e 99899-2101
oficinadeartemtv@yahoo.com.br
Com Bárbara Sotério:
por e-mail barbara.soterio@yahoo.com.br
Para conhecer um pouco meu trabalho:
www.barbarasoterio.wordpress.com
www.facebook.com/soteriobarbara
pinterest.com/barbarasoterio
instagram @barbara.soterio
A educação libertadora e a arte educação são os maiores medos das elites tiranas do mundo, e de seus robôs conservadores de privilégios, porque compreendem não o adestramento do conceito produtivista, mercadológico e competitivo, mas, o desenvolvimento da sensibilidade e da criatividade, da liberdade de conhecimento geral e irrestrito e da participação democrática nas decisões e diretrizes. Motivando a capacidade de discernimento e reflexão, de análise, integração, socialização, solidariedade e respeito às diferenças.
Claro, assim, passamos a enxergar, enquanto maioria, as formas do jogo de controle e manipulação dos poderes e comportamentos da sociedade, promovido pela minoria; elites financeiras e seus políticos e generais à tira colo, ou vice-versa, visando à continuidade da tirania dos empresários e empresas sobre a população.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

SEL MENDES - Mãe D'água / Show e exposição

OLHA AÍ QUERIDOS(AS), a queridíssima Sel Mendes, grande pessoa e dona de uma voz primorosa, vai cantar aqui. SE CHEGUEM, se aconcheguem porque o show será mágico, lindo!
O Centro de Arte Maria Teresa Vieira apresenta
SEL MENDES - Mãe D"água
Cantora, compositora, artista plástica e arte educadora, Sel ( Selma Lucia Mendes) apresenta show musical e exposição de pinturas em homenagem a Yemanjá em seu dia, 02 de fevereiro às 20h. 
"Mãe D’ Água” baseia-se numa proposta de integração da arte visual e musical. Visa o despertar sutil da consciência para a íntima e orgânica ligação do ser humano com o meio ambiente, estimulando o despertar do desejo de cuidar e proteger a natureza. A água, símbolo do sentimento é principalmente reverenciada por representar o afeto maternal. Por isso as imagens e as músicas evidenciam as deusas das águas do folclore indígena e afro brasileiro que também reacendem a identidade cultural brasileira em sua sábia expressão. Mãe d’ Água é a anima (alma feminina). As imagens artísticas a representam em gestos afetivos de respeito e cuidado com todos os seres e elementos. O essencial nesta proposta é a sensibilização harmônica da expressão artística visual e auditiva e revigoração da essencia contida no mito folclórico da “mãe d’água” na cultura indígena e afro brasileira."

Mezo soprano dona de um belíssimo timbre encorpado, Sel se apresenta acompanhada de Beto Vieira no violão 7 cordas, Marcelo Babilônia e Arruda Flow na percussão, e conta com as participações dos compositores e poetas Arnaldo Vieira de Alencastre, Dudu Godoi, Edu Planchêz e Euclides Amaral.
Dia 02 de fevereiro às 20h
ingresso R$ 15,00
Centro de Arte Maria Teresa Vieira
A casa estará aberta a partir das 18h30min.
Rua da Carioca,85 - Centro - Rio de Janeiro
Tel. 21 2533.8438 - 2262.0137
oficinadeartemtv@yahoo.com.br


sábado, 15 de março de 2014

DASPU em EXIBIÇÃO por Paula Vila Nova homenagem a Gabriela Leite

O Centro de Arte Maria Teresa Vieira apresenta
DASPU em EXIBIÇÃO / por Paula Villa Nova - homenagem a Gabriela Leite.

Desfile-peformance: 19 de março de 2014 às 21h, com portas abertas às 19h.
Abertura da mostra Daspu em Exibição: 20 de março das 18h às 23h.
Exposição: 20 / 03 / a 29 / 04 (recesso entre 18 e 23 de abril).
Visitação: terça a quinta das 13h às 20h, sexta e sábado 13 às 17h.

Seminário da Rede Brasileira de Prostitutas: 20 e 21/3.

ABRIL - 29/4/2014: encerramento da mostra com lançamento do jornal Beijo da rua e do DVD do documentário Um Beijo para Gabriela, de Laura Murray. De 18h a meia-noite.

“Daspu faz desfile-homenagem e exposição da grife, reafirmando luta estética e política de Gabriela Leite.
Reconstruir, remontar e reviver a própria criação. É assim que a grife Daspu está de volta à cena da batalha, em peças desenvolvidas pela artista plástica Paula Villa Nova a partir de estampas e looks do acervo da marca. Pesquisadora da arte vestível (os wearables), artesã de cruzar linguagens e reciclar formas, Paula faz sincronia com o desafio de refundação da grife, distante do mercado há quatro anos e abalada pela morte de Gabriela Leite, no ano passado.

Reviver nos corações a prostituta de corpo e alma é então outro desafio da noite de 19 de março, no Centro de Arte Maria Teresa Vieira, galeria vizinha à Praça Tiradentes, berço da grife. Nesta etapa, remontam o palco o designer Sylvio de Oliveira e o cartunista Aliedo, trabalhando sobre foto de Bruno Veiga que estampa camisetas e blusas femininas e masculinas.

A homenagem continua a reconstrução e reafirmação do legado de Gabriela, que compartilhou com as colegas a potência de ampliar a compreensão dos direitos sexuais, sexualidade, prazer e desejo, indicando outras formas de pensar as relações hierarquizadas de gênero e poder. Com todo amor pelos homens.

Do Pará ao Rio Grande do Sul, muitas dessas colegas, reunidas no Rio para debater direitos e políticas públicas, estarão na passarela. Todas elas, como Lourdes Barreto, hoje a mais antiga ativista do movimento de prostitutas, vêm acompanhadas de simpatizantes liderados pela modelo e atriz Alexia Dechamps, que representou no teatro a fundadora da ONG Davida e da grife Daspu.

As peças únicas de Paula Villa Nova comporão, de 20/3 a 29/4, a mostra Daspu em Exibição. Com elas, roupas do acervo pessoal da artista provocarão sentidos e significados a quem ousar vê-las e comprá-las. A demanda, como no cabaré, poderá ampliar a oferta, com a reprodução jamais igual das mais cobiçadas da grife. E as camisetas Gabi estarão à venda para atrevidas e atrevidos.

Na proximidade de megaeventos, com o risco do aprisionamento dos corpos, sejam políticos ou eróticos, as putas políticas eróticas livres e autônomas se colocam na esfera pública iguais em direitos, criadoras, belas, a provocar o padrão social excludente, discriminador e sexista, para contribuir com novos tempos. Viva, Gabriela!" ( Flavio Lenz )


. Apoios
Davida, Rede Brasileira de Prostitutas, Abia – Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids, Elas – Fundo de Investimento Social, Red Umbrella Fund, Open Society, Luxúria, Erni Coiffure, Toka do Adesivo, Bureau de Vez, Prefeitura do Rio, IMTV - Instituto Maria Teresa Vieira.


Centro de Arte Maria Teresa Vieira
Direção Arnaldo Vieira de Alencastre
 

Rua de Carioca, 85 - Centro - Rio de Janeiro
tel. (+55 21) 2533.8438 - 2262.0137
oficinadeartemtv@yahoo.com.br


terça-feira, 17 de dezembro de 2013

MERCÚRIO - Coletiva de desenho e pintura


Exposição coletiva dos artistas Clarice Cardoso, Isabella Amaral, João Outeiral, Mariana Dias, Mariana Paraizo, Mario Travassos e Marco Moreira, ex-alunos do artista plástico André Dahmer que expõem 17 trabalhos entre desenhos e pinturas e técnicas mistas.
 

Co-curadoria: André Dahmer
 

Abertura: Dia 18 de dezembro das 19h às 23h
Exposição: 18 a 20 de dezembro de 2013 e 07 a 31 de Janeiro de 2014.
Visitação: Terça a quinta-feira das 13h às 20h. Sexta e sábado 13h às 17h.

Paralelo a exposição será realizado no 3º piso o SarauOca Maria Teresa Vieira com a participação de Sérgio Gramático Júnior, Claudia Cristina Tonelli, Arnaldo Vieira de Alencastre e convidados poetas e músicos.

ENTRADA FRANCA!
Rua da Carioca, 85 - Centro - Rio de Janeiro.
tel. (+55 21) 2533.8438 - 2262.0137
oficinadeartemtv@yahoo.com.br

SarauOca Maria Teresa Vieira

No mês da confraternização e do fechamento de 2013,
os anfitriões do SarauOca, Sérgio Gramático Júnior, Claudia Cristina Tonelli e Arnaldo Vieira de Alencastre apresentam suas produções literárias e musicais mais significativas. Sérgio fisga maravilhas de seu recente livro lançado, "Poeticidade Maravilhosa". Claudia apresenta lindas prosas e poesias de seu futuro lançamento em livro e, Arnaldo trás uma seleção de seu ecletismo de gênero e ritmo. Logo, abrem o microfone para a participação geral e irrestrita do povo das artes.
Paralelo ao Sarau será realizada no mesmo horário no salão de exposições, a abertura da exposição MERCÚRIO - de desenhos e pinturas de Clarice Cardoso, Isabella Amaral, João Outeiral, Mariana Dias, Mariana Paraizo, Mario Travassos e Marco Moreira.

Dia 18 de dezembro de 2013 das 19h às 23:30
ENTRADA, ESTADA E SAÍDA FRANCAS!!!

Rua da Carioca, 86 - Centro - Rio de Janeiro
Horário de funcionamento: Terça a quinta das 13h às 20h, sexta e sábado 13h às 17h.
Tel. (+55 21) 2533.8438 / 2262.0137

oficinadeartemtv@yahoo.com.br

domingo, 14 de abril de 2013

EM CONSTRUÇÃO - Monotipias de ULF LINDELL




EM CONSTRUÇÃO - Monotipias sobre Alumínio de ULF LINDELL.

Abertura: 18 de Abril de 2013.
Exposição: 19 de Abril a 10 de Maio.
Visitação: terça a quinta das 13h às 20h. Sexta e sábado 13h às 17h.

ULF LINDELL - Em construção! é a terceira exposição do artista no Brasil – as duas primeiras aconteceram no Rio de Janeiro e em São Paulo. Recentemente, Ulf mostrou seus trabalhos em Washington (EUA) e São Petersburgo (Rússia), sem contar as individuais e coletivas realizadas com frequência em Estocolmo (Suécia).

A exposição traz algumas imagens de duas mostras anteriores, “Inútil”, uma abordagem da resistência civil, exibindo atiradores de pedras como combatentes da liberdade ou ainda terroristas, e “Äga Rum” (Ter Lugar), onde apareciam pessoas (presas em suas jaulas) no metrô ou nas ruas de Rio de Janeiro durante o carnaval. Ao tentar juntar agora estas obras tão diferentes, as identidades se apagam e as imagens se tornam mais semelhantes. Agora, ítens comuns, como móveis e mesas de pingue-pongue. tornam o trabalho de Ulf mais misterioso, ou conceitual.

“Minhas placas com figuras presas incomodam as pessoas em geral. Acredito que, ao pintar as minhas figuras dentro de jaulas, assinalo as limitações dos próprios espectadores. Costumo chamá-las de salas deterministas. Não faço isso para dizer que as pessoas estão predestinadas, mas pressupunho o brando determinismo. Será que esse determinismo pode ser visto como um equilíbrio entre os bem tratados e os maltratados?”

O ARTISTA REALIZARÁ UM WORKSHOP DE TÉCNICA MISTA SOBRE ALUMÍNIO NOS DIA 23 E 30 DE ABRIL DAS 19 ÀS 21H NO CENTRO DE ARTE Mª TERESA VIEIRA.

Sobre Ulf Lindell

Nascido em Örebro, Suécia, em 1964, vive e trabalha atualmente em Estocolmo. Já participou de individuais em galerias da França (Association confluences gallery, Paris, 1990), Colômbia (Tai chi, Bogotá, 1986), Russia (A3, Moscou, 1999), além das inúmeras exposições em seu país de origem. Os trabalhos de Ulf Lindell foram mostrados também em coletivas na Europa, incluindo importantes espaços, como o Salon International Emilio Ollero, em Jaén, Espanha.
Esta é a terceira exposição de Ulf Lindell no Brasil. Em 2008, inaugurou “Inútil”, na Galeria Maria Teresa Vieira, no Rio de Janeiro, que abordava a registência civil. E, em 2011, participou da mostra “Take Place” (Ter Lugar), na Dalmau Studio Gallery, em São Paulo, juntamente com Peter Svedberg, outro artista sueco.
Ulf trabalha com diferentes técnicas, mas grande parte de sua obra é de impressão e pintura, uma espécie de monotipias, em alumínio. Nesta nova exposição que chega à Galeria Maria Teresa Vieira, o artista vai apresentar dipticos de grande porte.

ULF LINDELL - Em construção!
Local: Centro de Arte Maria Teresa Vieira
Rua da Carioca, 85 – próximo à Praça Tiradentes - Centro
Telefones: (21) 2533-8438, 2262-0137

Entrada franca | Classificação etária: livre
Assessoria de Imprensa: Mônica Cotta – 2511-5947, 9994-0850- monicacotta@globo.com

quarta-feira, 10 de abril de 2013

SARAU POESIA DE PRIMEIRA de 11.04.13

Os poetas Marla de Queiroz, Sergio Gramático Jr. e Cláudia Tonelli.


SARAU POESIA DE PRIMEIRA - Poesia, música, artes visuais, cênicas e fraternidade.
Marla de Queiroz, Sérgio Gramático e Arnaldo Vieira abrem o microfone para canjas de artistas e do público, revezam na roda poética e encantam a noite com poesia e música.

Quinta-Feira dia 11 de Abril às 20h - ENTRADA FRANCA

Exposição de artes visuais e na banca cultural gravuras, pequenos objetos, livros e postais de artistas contemporâneos.

No Café, bebidas, cervejas de várias marcas e salgadinhos.

------- ENTRADA FRANCA -----------

Rua da Carioca, 85 - Centro, Rio de Janeiro
Quase esquina com Praça Tiradentes
E-mail: oficinadeartemtv@yahoo.com.br

Tel. (21) 2533.8438 - 22620137

quinta-feira, 4 de abril de 2013


O Centro de Arte Maria Teresa Vieira e a Editora Personal tem o prazer de convidar para o lançamento do primeiro livro solo de poesias de Maria do Carmo Bomfim, com o prefácio do poeta Tanussi Cardoso, orelha escrita pelo autor Roberto Saturnino Braga e contra capa do poeta e editor Cairo de Assis Trindade.

"Portrait é um livro de estilo leve, sobre o cotidiano e seus vértices, quando o eu lírico, especialmente feminino, busca a sua face num mundo falocêntrico. Maria do Carmo Bomfim nos dá o prazer de uma leitura forte e doce, ao mesmo tempo. Quer romper os grilhões, soltar-se de suas prisões internas, fugir de si mesma, existir, mulher e poeta, tentando, para isso, a poesia da liberdade."
Trecho do prefácio escrito pelo poeta Tanussi Cardoso.

Será realizado um sarau com a ilustre presença de poetas e do Trio Gamboa numa roda de choro, com Jorge Souto no bandolim, Kiko Chaves no violão 7 cordas e Marco Trança no pandeiro.

ENTRADA FRANCA

Centro de Arte Maria Teresa Vieira 

Rua da Carioca, 85 - Centro - Rio de janeiro - tel. 2533.8438 

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Sarau Poesia de Primeira


O CENTRO DE ARTE MARIA TERESA VIEIRA tem o prazer de convidar.

POESIA DE PRIMEIRA - Poesia, música, artes visuais, cênicas e fraternidade. 


Abrindo 2013, além do microfone livre para canjas de artistas e do público, o POESIA DE PRIMEIRA apresenta os convidados especiais; o poeta EUCLIDES AMARAL, o músico BIG OTAVIANO e a performance 'Ensaio sobre a Loucura - desconstruções dos construídos.', com LENA MORAIS E CLAUDIA TONELLI, integrante do quarteto residente junto com os poetas e escritores SÉRGIO GRAMÁTICO JÚNIOR, MARLA DE QUEROZ, e do cantor e compositor ARNALDO VIEIRA, que nos darão a honra de ver e ouvir suas belas produções.
 Dia 17 de Janeiro às 19h e 30min.
--- ENTRADA FRANCA ---
O sarau será realizado na galeria de arte, em meio a exposição de pinturas de Maria Teresa Vieira, Ulf Lindell e André Dahmer. No 2º piso, a banca cultural estará expondo pequenos objetos, esculturas, gravuras, livros e postais de artistas contemporâneos.

No Café, cervejas de várias marcas, bebidas e salgadinhos.

Rua da Carioca, 85 - Centro, Rio de Janeiro
Quase esquina com Praça Tiradentes
E-mail: oficinadeartemtv@yahoo.com.br
Blog: http://escoladeartemtv.blogspot.com/

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Sarau Poesia de Primeira em 06.12.12

No dia 06 de dezembro o sarau POESIA DE PRIMEIRA - Poesia, música e fraternidade, interagiu com o encerramento da exposição coletiva de artes visuais “15 sempre”, e desembocou numa festa a partir das 23h.
Na programação, além do microfone aberto com surpresas muito interessantes, tivemos a participação especial da cantora Lívia Valpassos, que junto com o quarteto residente dos poetas e escritores Sérgio Gramático Júnior, Marla de Queiroz e Claudia Tonelli, bem como do cantor e compositor Arnaldo Vieira, apresentaram suas mais recentes e belas produções.

Além de comes e bebes e cerveja gelada no Café, a banca cultural contou com a participação da grife ZIG FRIDA, com belíssimas roupas e acessórios femininos garimpados pelo mundo.

(foto: Marla de Queiroz)

1 5 S E M P R E

Exposição coletiva de pintura e desenho dos novos expoentes Adri Dous, Andréia Lopes, Clarice Cardoso, Gustavo Soares, Ingrid Kita, Isabela Amaral, João Outeiral, Marco Moreira, Mariana Paraizo, Pablo Loureiro, Renan Esteves, Vanessa Viana, Vitor Castro e Welington Rodrigues.
 

Artista curador: Otávio Avancini / co-curador: André Dahmer

Abertura: 08 de novembro às 18h.
Exposição: 08 a 30 de novembro de 2012.
Visitação: terça a quinta das 12 às 20h. Sexta e sábado 12 às 16h.

Na abertura, após às 20h será realizado no terceiro piso o sarau poético-musical POESIA DE PRIMEIRA e, às 22h o expositor Renan Esteves vai sacudir os ossos de todos abrindo a pista de dança. No segundo piso teremos um Café com cerveja gelada e comes e bebes, além de uma banca cultural com gravuras, pequenos objetos, livros, livretos, artesanatos e estampas artísticas.






Centro de Arte Maria Teresa Vieira - direção Arnaldo Vieira de Alencastre.

sábado, 25 de agosto de 2012

Cavalo Motor - exposição de Mônica Barreto

por Mônica Barreto



De 27 de Setembro a 25 de Outubro
De terça a quinta das 12 as 20h, sexta e sábado das 12h às 16h.

Curadoria: Otávio Avancini


Centro de Arte Maria Teresa Vieira
Direção: Arnaldo Vieira de Alencastre
Arte ao Alcance de Todos!

(+55 21) 2533.8438 / 2262.0137

oficinadeartemtv@yahoo.com.br


Centro de Arte Maria Teresa Vieira

“Esse texto não tenta dizer em palavras o que Monica Barreto nos mostra nas suas obras da arte, mas serve para acalmar aqueles que ficam nervosos sem receber ‘explicações’. Culpa de uma educação positivista, cheia de ordem e progresso onde sonhos e emoções tendem a ser explicadas fisiologicamente. Nada de abstrato aqui, nada mensuravel matematicamente, mas livremente figurativo em todos os excessos. Olhar para uma gravura de M.B. é como ter um acesso momentâneo a um outro mundo ‘diferente’... Pelo menos durante os primeiros segundos (ou antes de ter lido o resto do texto)...
Explicação 1: Todas as obras de M.B. exprimem uma vontade de se libertar. Não que M.B. se encontre mais presa que nós, mas porque ama a sensação de estar livre. Uma vontade de viver no sentido Nietzschiano: querer ser seu próprio deus.
Explicação 2: ‘Como sabemos isso?’: Os melhores criticos de arte ficam sempre ‘acompanhando de perto’ ou na maioria dos casos ‘correndo atrás’ do artista. Só para obter confidências e observar certos contextos para então aumentar a fascinação do mergulho( cada vez que o observador se jogasse dentro da obra). Não estamos vendo aqui pessoas que parecem ter cara de marionetes? Marionetes dão a impressão de atuar livremente num palco, mas ficam presas na ‘trama’ de suas cordas onde as mais fortes são aquelas invisíveis. Voar e estar preso ao mesmo tempo, como num avião. Viajar, mas se sentir como a bagagem, um peso a ser carregado: a imagem recorrente da mulher dentro da mala, a mulher-mala. A mulher que não sai do armário, sempre atrapalhada por algo tão ridículo como uma touca de bébé ou que tal por ‘laços’, outra imagem ‘fetiche’. O ‘agent provocateur’ dentro de M.B. se sente amarrado, mas sabe que basta puxar levemente uma das extremidades para se soltar a qualquer momento. Do mesmo jeito que ela recorre na vida real à performance para se livrar de uma situação sufocante ou tediosa. Há uma gravura mais recente onde se deixou mais solta ( não se preocupava muito com o desenvolvimento da obra em si), onde a fluidez da forma deixou um braço virar quase uma asa...
Em certa gravura a mulher está olhando para um cavalo de onde tantas vezes caiu, num cenário de cortinas drapeadas. Dessa vez o corpo, cheio de autoconfiança, quer dominar o cavalo para se apropriar do seu espírito selvagem. Ser livre aqui é tornar-se indomável. Youcan’tcontrolwhatiswild, como o Earth Liberation Front costumava dizer. É um dizer ‘sim’ ao convite de Deleuze para ‘tornar-se animal’. Que seja um cavalo ou um pássaro. E no próximo trabalho com cavalo somente as janelas sobram da imagem recorrente do avião. E então, com o rosto levemente tocando a janela, é possível ter a máxima sensação de estar voando... (Peter Beysen / antropólogo)

Apoio Cultural:

Instituto Maria Teresa Vieira
Prefeitura do Rio de Janeiro
Toka do Adesivo

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Programação 2012

PROGRAMAÇÕES...

Exposições
Aos 80 anos de nascimento de Maria Teresa Vieira, a começar pelas exposições no Salão Rogério Steinberg, no térreo, com a curadoria de otávio Avancini, o ano está sendo de fortes realização entre exposições coletivas e individuais de pinturas, desenhos, gravuras, instalações, esculturas, mosaicos, fotografias e multimídias dos artistas Gustavo Pellizzon, Rosane Chonchol, Nilton Pinho, Claudia Dowec, Antonio Pinheiro, Innó Luiz, Mônica Barreto e encerrando o ano uma coletiva de novos expoentes.

Escola/Oficina
A arte educação se aplica de forma abrange, no desenvolvimento de estudos visando a sensibilização, o aprofundamento e a capacitação teórica e prática do profissional, do semi-profissional e do estudante, entre crianças, jovens e adultos, onde se insere também neste contexto, a educação inclusiva, a inclusão social e a arte terapia. 
Além das oficinas permanentes e cursos periódicos de linguagens e técnicas variadas de desenho, pintura, desenho de modelo-vivo, escultura, mosaico, cerâmica, xilogravura, serigrafia artística e história da arte, são desenvolvidos Núcleos de artes visuais, do corpo, da palavra, da música e da cultura, violão brasileiro, percussão-ritmos e gêneros brasileiros, BloCoral da Carioca, Produção Cultural, Leis de Incentivo à Cultura, entre outros núcleos em formação.

Eventos
Além da continuidade do Fórum Cultural, sob a coordenação de Alexandre Palma, com palestras e debates, e do Sarau Poesia de Primeira sob a coordenação dos poetas Sérgio Gramático Júnior, Marla de Queiroz e Claudia Tonelli, uma nova grade de eventos apresenta semanalmente música ao vivo na galeria, além das já consagradas festas temáticas.  

Projetos Especiais para 2013
. Publicação e lançamento do livro de memórias de Maria Teresa Vieira; "Passagens".
. Estruturar reserva técnica e acervo da artista com melhorias do espaço e restauro de obras e documentos, através de parcerias e convênios com instituições dedicadas em preservar patrimônios artísticos materiais e imateriais.
. Visitações guiadas às exposições em cartaz na galeria de arte.
. Programas de bolsas de estudo e de permuta a estudantes de todas as idades.



segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Fórum Cultural 2011

Fórum Cultural 2011 / Instituto Maria Teresa Vieira

O Fórum Cultural - 2011 apresentará palestras e debates de arte e cultura em 3 encontros a se realizar nos meses de novembro e dezembro, e reunirá palestrantes de diferentes setores de produção cultural do Rio de Janeiro. Com a participação de artistas, educadores, produtores culturais, representantes de setores e equipamentos públicos, ONGs.

OBJETIVO

... Promover e ampliar a interlocução a discussão de temas de âmbito artístico e cultural, visando à dinamização do setor, proporcionando ainda o encontro para troca de idéias e informações, e enriquecimento através do debate direto com representantes da área de cultura.

Programação
 

08/11/2011 às 19h - PANORAMA DA ARTE CONTEMPORÂNEA, DA HISTÓRIA EM QUADRINHO E MEDIAÇÃO CULTURAL.
À mesa de abertura do Fórum, teremos um diálogo entre três áreas complementares no campo das Artes Visuais: a produção artística contemporânea e seu ensino em espaços culturais e museus.
Palestrantes: Alexandre Palma, pós-graduando em Cinema-documentário na Fundação Getúlio Vargas e professor na UFRJ, André Dahmer artista plástico, cartunista e professor no Centro de Arte MTV, e Otávio Avancini, artista visual, também professor na Instituição e curador de sua galeria.

22/11/2011 às 19h - LITERATURA INFANTO-JUVENIL, TEATRO-EDUCAÇÃO E LITERATURA DE CORDEL.
Alba Ferreira - Doutoranda em Literatura na UFF apresenta caminhos na produção cultural para crianças e jovens situando o livro de literatura como uma abordagem instigante. Em seguida, o mestrando do Instituto de Artes da UERJ, Fernando Assumpção, apresentará o projeto de revitalização da Academia Brasileira de Literatura de Cordel (ABLC), e concluindo, o jornalista e produtor cultural Julio Hungria compartilha relato de sua experiência em Teatro-Educação, realizado no Complexo do Alemão.

06/12/2011 às 19h - POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO DE ESPAÇO CULTURAL.
No encerramento do Fórum 2011, além de uma exposição de Maria Teresa Vieira, o vereador Reimont Otoni, presidente da Frente Parlamentar pela Democratização da Comunicação e da Cultura, da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro, apresentará a contribuição do poder legislativo na organização de ações e projetos. Ao seu lado, e o gestor, produtor cultural e músico Arnaldo Vieira de Alencastre, que fará um relato sobre a história e a gestão do Centro de Arte Maria Teresa Vieira, planejado e produzido por artistas.como espaço de arte e cultura que reúne galeria de arte, escola-oficina, acervo e eventos.,

ENTRADA FRANCA
 

Certificado de participação para freqüência mínima em 02 encontros.

Centro de Arte Maria Teresa Vieira
Rua da Carioca, 85 – Centro - Rio de Janeiro
Tel. (21) 2262.0137 / 2533.8438
e-mail: oficinadeartemtv@yahoo.com.br

IMTV
Coordenação do Fórum Cultural 2011 ............ Alexandre Palma

Diretor-Presidente .................................. Arnaldo Vieira de Alencastre


SEJAM BEM VINDOS!

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Continuidade e Regularização do Centro de Arte Mª Teresa Vieira, há 25 anos na Rua da Carioca.


Em 27 de maio de 2011, o Centro de Arte Maria Teresa Vieira, recebeu uma notificação de desocupação do imóvel próprio municipal que ocupa e reconstruíu através de doações de alunos, amigos e da iniciativa privada, na Rua da Carioca, 85 - Centro, porém, após uma campanha de apoio à continuidade e regularização junto aos artistas, educadores, produtores culturais, ass.dos arte educadores, Sarca, Apta (P.Tiradentes) Rotary, e vários setores representativos da sociedade, bem como artistas de reconhecimento nacional e internacional, como Ziraldo, Fernado Pamplona, Ferreira Gullar, Pedro Cardoso, conseguimos, felizmente o apoio da Frente Parlamentar pela Democratização da Comunicação e da Cultura (Câmara Municipal do Rio de Janeiro), através de seu presidente o vereador Reimont Otoni, que sensibilizado com o risco do acervo de mais de 400 obras de arte de Maria Teresa, juntamente com todo mobiliário da instituição irem para um depósito da Prefeitura, levou seu apoio e nosso pleito ao prefeito Eduardo Paes, que prontamente se posicionou apoiando a continuidade e a regularização do Centro de Arte na Rua da Carioca, por entender também que este, além de contribuir há seis décadas na formação de milhares de alunos através de sua fundadora e artistas vinculados a instituição, guarda seu acervo e representa o legado de uma das pioneiras da arte educação brasileira, da inclusão social através da arte, da arte terapia, da educação inclusiva, foi também, o centro de arte, pioneiro na revitalização da Praça Tiradentes e Rua da Carioca, desbravando á partir de 1986, uma área com dificuldades tamanhas.

Hoje estamos em processo de parcelamento de uma dívida de aluguel deste imóvel com a prefeitura, pois, quando Maria Teresa Faleceu, o contrato que era feito em nome da pessoa física dela, não foi renovado em nome de sua instituição como prometido, deixando-nos 12 anos sem contrato, e isso inviabilizou a captação de recursos e a entrada de novos sócios, engessando a dinamização da atividades e promovendo dificuldades. Muita gente pensa que este imóvel foi doado ou cedido a instituição por ela tê-lo reconstruído, restaurado e alí implantado um projeto de âmbito social, como sempre fez, oferecendo oportunidades de estudo em artes visuais gratuitamente a alunos da rede pública, de 30 a 60 bolsas anuais, além de promover exposições de artistas plásticos com custos bem abaixo dos próprios equipamentos públicos,

Com o apoio do prefeito Eduardo Paes, esperamos que até o fim do ano estejamos assinando o novo Contrato de Permissão de Uso Remunerada, para que possamos enfim, ter amparo jurídico necessário ao bom andamento de qualquer atividade profissional, ainda mais artística e cultural. Empresários e instituições amigas aguardam o contreto para iniciarmos convênios, programas e projetos culturais. Mas, tudo isso acabaou gerando muita motivação e contagiando a todos com muita vontade de acertar, de produzir. Portanto, o Centro de Arte Maria Teresa Vieira, vem a cada dia aumentando qualitativamente sua programação de exposições mensais, eventos de música e poesia, como inserindo novos cursos, fóruns de debates e encontros, e até convênios e parcerias que já se fazem presentes. Só temos a agradecer o apoio de todos e continuar a fazer da arte um instrumento de solidariedade, de criatividade e de enriquecimento interior. Obrigado. 

Arnaldo Vieira de Alencastre

PS. Vídeo sobre o assunto (You Tube / Blog Teimont): https://www.youtube.com/watch?v=zSbCo0zwL-k&feature=player_embedded

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Carta ao Prefeito

Exmo. Sr. Prefeito Eduardo Paes
AC/ Presidente da Comissão Parlamentar
Da Democratização da Comunicação e da Cultura
Sr Verador Reimont
Rio de Janeiro, 10 de Junho de 2011.

Prezado Prefeito,
Sabedores de vosso honrado espírito de homem público, representando corpo e pensamento de nossa cidade e cidadãos, venho solicitar vossa apreciação ao assunto levado por nós ao senhor Vereador Reimont, refiro-me ao importante projeto de memória da arte educação carioca e brasileira, o acervo, legado e instituição da artista plástica e arte educadora Maria Teresa Vieira (1932-1998), patrimônio cultural material e imaterial preservado pelo Centro de Arte homônimo que dirijo, e com mais de 400 obras de arte, além de centenas de manuscritos que documentam pensamentos e reflexões da artista educadora sobre o papel transformador da arte educação, estão em risco de ir para um depósito da Prefeitura.
Portanto venho encarecidamente solicitar reavaliação da Notificação de Desocupação (nº496/2011), datada de 27 de maio de 2011 e assinado pelo Superintendente de Patrimônio Imobiliário/SMF, e propor a Prefeitura do Rio de Janeiro o reposicionamento de uma nova parceria no intuito de consolidar o Centro de Arte Maria Teresa Vieira como importante referência da arte educação brasileira, oferecendo alta qualidade no ensino de arte educação e artes visuais, um poderoso instrumento de consciência individual e de formação de cidadania.
Alagoana, radicada no Rio de Janeiro desde seus 18 anos de idade, quando chegou sozinha e com uma bolsa de estudo concedida pela Câmara Municipal de Maceió, em 1950, para estudar na Escola Nacional de Belas Artes, a artista foi a pioneira na vanguarda da reabilitação social através da arte, da arte terapia e da educação inclusiva e formadora de várias gerações de artistas. Afirmar que ela foi a mais atuante arte educadora do país, em 46 anos de magistério e 50 de artes visuais, pareceria suspeito e redundante por ser seu filho, se, quem estivesse ao meu lado e assinando embaixo pelo que ela representa e pela seriedade e legitimidade de nossa instituição, não fossem pessoas tão comprometidas com a verdade de um tempo, com a arte e a cultura do Rio de Janeiro, como o são Ziraldo, Fernando Pamplona, Ferreira Gullar, Pedro Cardoso e Bili Blanco, Vitor Ortiz e Carlos Minc, como tantos outros reconhecidos e anônimos vivos, amigos ou filhos da arte de Maria Teresa, bem como Carlos Drummond, Rubem Braga, Jucelino Kubichek, Faiga Ostrower, Djanira, Edson Mota, Augusto Rodrigues, Walmir Ayala e tantos outros reconhecidos e anônimos que continuam através da suas obras e legado.
Manter o  Centro de Arte é garantir a MEMÓRIA da cidade e preservar seu patrimônio cultural, refletindo a expectativa de diversos segmentos representativos da sociedade carioca e da comunidade de seu Centro Histórico, no pioneiro empreendimento privado, com doações da iniciativa privada, alunos e amigos,para a reconstrução de um imóvel próprio municipal que estava em ruínas devido a um incêndio, contribuindo na revitalização cultural da Rua da Carioca e Praça Tiradentes. E não paramos por aí, proporcionando também a primeira construção da Praça João Calvino/espaço Guignad, com isso conquistando respeito, admiração e total apoio da a comunidade de moradores, lojistas e instituições culturais da região.
Portanto, O Centro de Artes representa uma iniciativa embrionária no processo de revitalização da Praça Tiradentes, constituindo-se um EMPREENDIMENTO DE VANGUARDA, em uma época em que a Praça e o seu entorno apresentavam um retrato de abandono.  

Felizmente a Prefeitura acreditou nas potencialidades do projeto da artista e sua instituição que beneficiou centenas de artistas e milhares de estudantes de forma gratuíta, porém, após sua morte, a ausência pela Prefeitura, de uma resposta em relação ao pedido de revisão contratual, engessou o Centro de Arte e inibiu quaisquer ações de auto- sustentabilidade, mas, representa um equipamento pronto, em atividade. Portanto, dentro do contexto de revitalização pelo qual a Praça Tiradentes passa hoje, e com o apoio professores de Belas Artes, artistas, educadores, Escolas Estaduais e Municipais da Rede Pública de Ensino aos quais desenvolvemos parceria, setor de museologia da UFRJ, UERJ, Uni Rio, Rotary Clube, Museu de Imagens do Inconsciente, Hospital Pinel, as Coordenadorias de  Assistência Sociais/Rj., Fundação Lar Escola, Desipe, Fundação Santa Cabrini, Associação de Arte Educadores do RJ, Confaeb, a Sociedade dos Amigos da Rua da Carioca e a Associação dos Comerciantes da Praça Tiradentes.

Certos de contar com vosso apoio em nosso enlevado propósito Subscrevomo-nos

Atenciosamente



                          ARNALDO VIEIRA DE ALENCASTRE
                             
            CENTRO DE ARTE MARIA TERESA VIEIRA LTDA M.E.
                                           SÓCIO-DIRETOR

                                              
                    INSTITUTO MARIA TERESA VIERA (OSCIP)
                                               PRESIDENTE

Maria TeresaVieira AINDA Vive!

Uma Parte do Caminho...

Caros amigos,
convidamos a todos para a abertura da exposição Uma Parte do Caminho...
com os artistas:
Alexandre Paes
Anderson Lopes
Priscila de Moraes
Tatá Barcelos
Vlad da Hora

Abertura: 02 de Julho às 17h
Exposição de 05 a 29 de julho de 2011

Centro de Arte Maria Teresa Vieira
Rua da Carioca, 85 Centro
Terça a sexta, das 12 às 19hs
Sábado, de 12 às 15hs
Tels.: 21 2533-8438 / 2262-0134
oficinadeartemtv@yahoo.com.br
www.umapartedocaminho.multiply.com
umapartedocaminho@gmail.com

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Naturismo - pinturas de Henrique Resende. Abertura 25 de maio às 19h.


Nestas pinturas ícones da história são despidos completamente, de todos os artifícios e poderes. Contudo, a carne é sacralizada com um processo pictural de integração com um fundo vaporoso criado pelo uso da renda trabalhada com finas camadas de tinta. Faço uso da filosofia naturista para realizar uma pintura que toca numa questão crucial deste início de século: a proposição de um novo olhar na relação ser humano/natureza.

A série NATURISMO busca provocar uma reflexão sobre o bicho humano e pretende, conectada a outras ações, contribuir para uma transformação da sociedade em relação ao planeta.     (Henrique Resende)

Naturismo - pinturas de Henrique Resende. De 25 de maio a 24 de junho de 2011

terça-feira, 30 de novembro de 2010

MINHA VIDA – ARTE-EDUCAÇÃO

Maria Teresa Vieira


(trecho do livro de memórias "Passagens" de Maria Teresa Vieira)

A ausência:
A presença na ausência alimenta. E quando nos damos por inteiro, a marca da ausência fica na presença. Eu tenho observado o seguinte em matéria de arte-educação: por que é que eu entrei nessa história?
O artista e o educador tem um compromisso e uma necessidade de orientar. Não somente o artista orientar, mas inclusive, ser orientado.
O educador era a necessidade, que eu sentia de completar as lacunas da infância. E o respeito de não ficar com as coisas só para mim.
É como se eu precisasse dar sempre ao outro através da arte. Eu acreditava realmente nisso. E até agora eu acredito que através da arte o homem pode se encontrar. É como se ele conhecendo o material, possa conhecer a si mesmo. Ele traçando a linha, está traçando a sua linha. E no continuar, ele vai resolvendo, dando soluções para suas coisas.
Eu sempre achei interessante dizer:
- Quando eu ficar bem, eu venho ter aula de pintura.
Mas justamente, eu achava que a pessoa iria ficar bem, tendo primeiro a aula de pintura, de teatro, de música. Aula para colocar sua criação em movimento, e organizar sua impetuosidade. Canalizando. Ter um ambiente onde propiciar-se o colocar para fora. Dentro desse ambiente iam surgindo situações. E dentro do surgir era como se o homem tivesse uma oferenda para dar à humanidade. Essa oferenda era materializada em atitudes. Quando a pessoa escolhe verbalizar essa oferenda, em forma de literatura, está sempre dando, está sempre militando.
Mas, há pessoas que fazem isso na atitude humana. O dar de cada dia. O viver constante. Organizar para dar à humanidade.
O artista dentro de sua arte, se organiza, O educador seria canalizar essa emoção, organizar essa emoção que cada um traz. Organizar o caótico. Estou me lembrando do meu amigo Willy.
É muito importante ver o caótico de cada um de nós. Ver surgir e depois organizar. Essa organização só vem da continuidade.
E se alguém vem sem saber como organizar as emoções, os gritos, os movimentos? O diretor deverá organizar os gritos. Organizar o caótico é tarefa do diretor, do educador, do professor, do estadista, da dona de casa, do presidente de uma organização.
As consequências do caótico, a continuação do mesmo, só darão dúvidas para o próprio caótico.
É como os altos e baixos de uma música: movimentos fortes e movimentos tranquilos, agudos e graves. Se não, haveria uma angústia muito grande, sem resultado.
É importante a educação do caótico e a presença do mesmo.
Este é o momento de dizer que educar é ajudar, é canalizar.
Mas, para educar, eu tive que me educar, o que não foi muito fácil dentro da educação desordenada de um nordestino. Tive que por em ordem as minhas gavetas desarrumadas. E até ser durona. Em alguns momentos até ser severa. Ser dura até comigo, e com os outros. Eu descobri que às vezes é necessário ser dura, para poder ser flexível em algumas horas. O dar não para dar sim. E ter conhecimento de alguns momentos do outro, de informação do outro, mas de maneira nenhuma ficar de antolhos, querendo aplicar os ensinamentos só de uns, sem ouvir o ensinamento do seu coração.
O educador não deve ser só educador. Ele tem que ser criador. Se ele não criar alguma coisa, ele não vai conseguir saber como passar adiante. Ele tem que resolver o ato da sua própria criação.
Tem o educador que é artista. E tem artista que é educador, e sente necessidade de passar para o outro, não somente a sua técnica, mas passar o sentimento da criação, em todos os minutos, não somente no trabalho que está sendo feito.
O professor deve ter um espírito aberto, e o aluno também, para saber quando vai existir outra aula, sem ser aquela que o aluno está assistindo. Mas, o professor tem que saber quando é que o aluno deverá ter outras informações com outro colega. Ele não deve ser vaidoso para reter o aluno um tempo maior do que o necessário.
O aluno sentirá que está sendo amado, respeitado, e poderá profissionalizar aquilo que está aprendendo, embora seja um trabalho quase como lazer, como um alegria.
Mas, e aquela sensação de carregar pedra, que entrou dentro da humanidade ?
Se não carregamos pedra, pensamos que a coisa não é séria. Dentro da formação que tivemos, a arte será muito forte, quase difícil e triste. É um conceito que temos que pensar e transformar.
Por que a arte não pode ser feliz, prazerosa e lúdica ? Por que a tristeza não pode estar conosco? Por que tem que ser só alegria? Por que lutar pela conquista não pode fazer parte do processo? A dor não faz parte do processo da vida?
E o aluno compreenderá que é uma coisa maravilhosa, a pesquisa constante, a procura, o brinquedo, o sério, o lúdico, o exigente, o suave.
É fundamental numa oficina propiciar ao aluno esses momentos de busca. Quem é que tem tempo de saber o que quer? Tem que ter um lugar onde a pessoa experimente. Faça experimentos, erre. Faça experimentos, erre.
(Maria Teresa Vieira /1996)

terça-feira, 18 de maio de 2010

Oficinas e Cursos 2013

 Centro de Arte Maria Teresa Vieira




ESCOLA-OFICINA

Núcleos de Artes visuais, arte educação, artes e cultura para crianças, jovens e adultos. Sensibilização, expressão, conceitos, técnicas, história, aperfeiçoamento, criatividade e capacitação.

Aulas individualizadas em grupo, sem interferência na criação do aluno, com respeito ao seu processo e objetivo, incentivando a pesquisa interior, ou seja, o que o aluno traz em si, sua bagagem pessoal, valorizando a importância de canalizá-la em busca da sua expressão artística.

ARTES VISUAIS



WORKSHOP Técnica Mista Sobre Alumínio - Nos dias 07 e 14 de maio das 18:30 às 21:30 o artista plástico sueco Ulf Lindell, paralelo a sua exposição no Centro,de Arte, orienta os participantes na realização de trabalhos individuais com técnica mista sobre alumínio, tinta acrílica e impressão.



Oficinas permanentes em andamento

· Iniciação ao desenho e a pintura ................. Roberto Dias

  4ªf. de 18h às 20h e 30min
  sábado 10 às 12h e 30min.

· Desenho e Pintura de Livre Expressão ....... André Dahmer
  5ªf. 18h às 21h

· Escultura em cimento, p. sabão e madeira........ J.C. Branquinho
  4ªf. 14 às 17h e 18h às 21h


· História da Arte: do Moderno ao Contemporâneo ..Istefânia Rubino
  sábado 13h às 15h


. Desenho de modelo-vivo .......................... André Dahmer
  5ªf. 18h às 21h


· Artes Visuais para crianças, jovens e adultos ... Istefânia Rubino
  sábado 10 às 12h.

. Cerâmica de baixa e alta temperatura........... Sonira Melo
  5ªf. 09 às 12h 

. Oficina de Cinema ................................ Alexandre Palma
  4ªf. 19 às 21h e 30min.


. Fotografia Experimental .......................... Eduardo Mariz


TEATRO E LITERATURA

. Oficina de Teatro ..........Bruno Caldeiras e Gustavo Rizotti 
  f. e 5ªf. 18:30 às 20:30

. Criação e Sensibilização Poética ......... Jorge Barbosa Filho 


 Outros em vias de abertura:

. Serigrafia Artística;

. Projetos Culturais e Lei de Incentivo.



Rua da Carioca, 85 - Centro - Rio de Janeiro
tel. (21) 2533.8438 /2262.0137  oficinadeartemtv@yahoo.com.br
Terça a quinta das 12 às 21h, sexta e sábado 12 às 17h